revista b / fim de semana

Fim de semana

Terra Quente Transmontana para descobrir este verão!

A Terra Quente de Trás-os-Montes é uma autêntica surpresa cheia de tradição, natureza e gastronomia, que merece ser conhecida ao vivo e a cores num fim de semana da estação quente!



Este verão as temperaturas sobem na Terra Quente Transmontana, situada na confluência das sub-regiões do Alto Trás-os-Montes e do Douro. É uma maravilha nacional banhada pelos rios Sabor, Tua e Douro, habitada por Alfândega da Fé, Carrazeda de Ansiães, Macedo de Cavaleiros, Mirandela e Vila Flor. Aqui o verão é quente, prolongado e seco, respira-se ar puro, e encontra-se gente afável que tão bem sabe receber, comer, beber e preservar a riqueza do seu passado histórico, cultural, arquitetónico e ambiental.

Seguir história e cultura

A Terra Quente Transmontana atrai cada vez mais visitantes que ali vão dar seguindo o rasto dos vestígios de civilizações passadas. Ou não fosse aqui que habitaram povos pré-históricos, deixando gravuras e pinturas rupestres do Paleolítico Superior, em sítios arqueológicos no Vale do Côa e Alto Douro Vinhateiro. Imperdível a visita ao museu de arte rupestre de Foz Côa! E é a passear por esta terra magnífica que se descobrem tesouros como um abrigo pintado da “Pala Pinta”, na bacia do rio Douro, considerado pelos entendidos como um dos abrigos de arte rupestre mais importante do nosso país.

Também para descobrir, as minas de ouro de Três Minas, as estâncias termais do Alto Tâmega, as igrejas, os conventos, os solares e castelos, as quintas do Vale do Douro onde se degusta bom vinho, os centros históricos e museus das localidades, e as aldeias comunitárias de Rio de Onor e Pitões das Júnias.












Reviver tradições ancestrais

A gente do Nordeste Transmontano é rica em tradições, e é conhecida por ser trabalhadora e madrugadora. Assim, esta terra é ideal para quem gosta de ver o dia a nascer e sentir a essência das aldeias, através do contacto com os habitantes da região, famosos pela hospitalidade.

E também de animais se faz esta terra. Por aqui costumam pastar sobretudo ovelhas e cabras, pelo que as carnes e os queijos são iguarias a não perder! No Planalto Mirandês (Miranda do Douro) é obrigatório conhecer o burro de Miranda (existe um programa de atividades divertido), e até aprender algumas palavras da língua mirandesa, a segunda língua oficial portuguesa. E porque não experimentar mascarar-se de careto, dançar com os pauliteiros, ou até participar nas vindimas (lá para o final do verão é capaz de já encontrar quem lhe ofereça essa experiência). Nesta terra, a agricultura familiar é rainha, por isso aqui o visitante pode encontrar variados produtos agrícolas, como a cereja de Alfândega da Fé, a maçã e a uva de Carrazeda de Ansiães, a castanha de Macedo de Cavaleiros, a azeitona de Mirandela e Vila Flor, e os frescos das hortas espalhadas pelo vale da Vilariça.

Contemplar a natureza mediterrânica

A paisagem natural desta região, com características mediterrânicas, é um verdadeiro convite à contemplação. Vale parar para observar as aves a sobrevoar as encostas do Douro, fazer passeios a pé ou de barco, ou até de comboio, e deixar-se deslumbrar pela beleza das áreas protegidas da região. São várias as zonas da região do Nordeste Transmontano que integram a lista de sítios da Rede Natura 2000, englobando também dois parques naturais, o Parque Natural do Douro Internacional e o Parque Natural de Montesinho, bem como a Paisagem Protegida da Albufeira do Azibo.

Degustar maravilhas gastronómicas

Esta região é por excelência onde se produz o famoso vinho do Porto, os vinhos do Douro, o azeite e o mel. E é nestas terras que se cultivam a amêndoa, a maçã, a cereja, a castanha, a batata, os cereais e os cogumelos. E é também aqui que todos estes ingredientes e outros mais se confecionam: como os típicos enchidos (alheira e farinheira), a posta maronesa, mirandesa e barrosã, os folares, as bolas e diversos doces conventuais, ou os pratos típicos dos peixes dos rios da região como a truta, o escalo e o barbo.

A Terra Quente de Trás-os-Montes e Alto Douro é história, tradição e natureza em estado puro. É hospitalidade e bem-estar. É património que vale mesmo a visita!

Fotogaleria

As águas calmas do rio Tua são o espelho da cidade de Mirandela
Os socalcos que descem as serranias em direção ao Douro fazem parte do património da humanidade
As Terras de Barroso parecem esquecidas no tempo
A torre de managem do Castelo de Montalegre
O pelourinho da Praça da Sé de Bragança é uma testemunha do tempo que passa
As festas de Vinhais conservam as velhas tradições celtas
Hoje as barragens acalmaram a fúria das águas do Douro, que parece um lago entre a Régua e o Pinhão
Os barcos rabelos fizeram a história do Douro e hoje são atrações turísticas
As encostas do Douro são um caleidoscópio que varia com as estações do ano
O verde e a música das ribeiras marcam a paisagem do Gerês


A sua opinião é muito importante para melhorarmos!

Procuramos melhorar cada edição que fazemos. Contamos com a sua ajuda para avaliar este artigo e a revista b. Basta apenas 1 minuto.

Quero dar a minha Opinião