revista b / city break

City Break

Istambul, terra das 1001 noites

Os minaretes e as cúpulas das mesquitas que sobressaem do casario marcam o exotismo de Istambul. Já se chamou Bizâncio e Constantinopla e, sendo um cruzamento de gentes e culturas, é uma cidade onde a Europa e a Ásia estão ligadas pelas águas do Bósforo.



48 horas em Istambul

Dia 1

9h às 10h

Beyoglu

Beyoglu, uma colina sobranceira ao estreito do Bósforo e ao mar de Mármara, era o bairro das embaixadas no séc. XIX. Istiklal Caddesi é uma rua pedonal onde surgem as mais variadas lojas, cafés, bares e restaurantes. O Pera Palace Hotel, onde se hospedaram os viajantes do Orient Express, como Agatha Christie e Ernest Hemingway, esconde-se numa perpendicular. Seguindo na direção do mar surge a Torre Galata, com origem no séc. VI. Foi ponto de observação, prisão otomana e hoje um miradouro privilegiado para observar a cidade velha e traçar uma rota para o resto do dia.



11h às 13h

Sultanahmet

Sultanahmet é imperdível. Na mesma praça, surge de um lado a Hagia Sofia, a catedral que o imperador romano Constantino mandou erigir após a fundação de Constantinopla, tendo sido mesquita nos tempos otomanos antes de se tornar museu quando surgiu a República Turca, e do outro lado a Mesquita Azul. A velha cisterna que serviu para armazenar a água que abastecia a cidade remonta ao séc. VI e merece uma visita, porque o seu interior quase parece uma catedral suportada por 336 colunas. Nesta zona feita de ruas estreitas há edifícios muito curiosos do período otomano, muitos em madeira, quase todos com jardins e alguns deles são restaurantes. É um bom local para uma pausa.



14h às 19h

Grande Bazar

O Topkapi foi mandado construir por Mehmet II (séc. XVI) para sua residência após a conquista de Constantinopla. Hoje é um museu fantástico, pelas mais variadas coleções de arte e também pela requintada arquitetura e curiosidades, como o harém dos imperadores. O museu é imenso e é impossível visitá-lo em pouco tempo, pelo que importa tomar opções.

O Grande Bazar é um caos organizado num verdadeiro labirinto que mostra a verdadeira dimensão do caleidoscópio cultural de Istambul. Artesanato, quinquilharias sem valor ou ricos tapetes de seda e ourivesaria surgem paredes-meias num espaço feito de cor e vozes, temperado com o cheiro das especiarias.



À noite

Karaköy

O Sky Lounge, localizado no alto de um edifício de apartamentos (Istiklal Caddesi 163, Beyoglu; +90 212 251 1042; 360istanbul.com), é o melhor local para começar a noite. Mais do que um bar, oferece uma vista deslumbrante sobre a cidade. O bairro de Karaköy está na moda, a animação é garantida e restaurantes não faltam. No Lokanta Maya (Kemankeş Caddesi 35; +90 212 252 6884; www.lokantamaya.com), os sabores locais e a modernidade surgem lado a lado. O Ops Café fica perto (Mumhane Caddesi Nimet Han 45B; +90 212 245 0288; www.opscafekarakoy.com) e, por lá, as fatias de cheesecake são gordas...



Dia 2

9h às 13h

Muralhas de Teodósio

Pazartekke é uma estação de metro que dá acesso às Muralhas de Teodósio, construídas no séc. V e que ainda se mantêm de pé ao longo da cidade antiga, apesar de já se terem perdido algumas das suas 154 torres e 11 portas. Yedikule é uma fortaleza virada para o mar de Mármara. As muralhas estendem-se ao longo de 6,5 km e o passeio pode ter a extensão que cada um quiser, porque há muito para ver. A igreja de São Salvador em Chora é considerada um dos melhores exemplos da arquitetura bizantina e é apenas um exemplo.



Pela tarde

A cidade a partir do mar

Vale a pena ver a cidade a partir do mar e quanto mais tarde melhor, porque o céu vai assumindo as tonalidades quentes. A forma mais prática é utilizar os ferries. De Karaköy parte uma carreira que segue para Haydarpasa, oferecendo uma vista privilegiada dos principais monumentos, que parecem espreitar o mar de Mármara. Outra opção é a ligação entre Kadiköy e Eminönü, que oferece as mesmas vistas.




Fotogaleria

As cúpulas e o minaretes são uma imagem das mil e uma noites na paisagem de Istambul
Mais do que a sua imponência, a Mesquita Azul impressiona pela arquitetura interior
O Estreito do Bósforo separa a Europa da Ásia
Vale a pena procurar um ferry ou um barco de turismo para descobrir as margens da cidade
Hagia Sophia já foi catedral, mesquita e é hoje um museu que recorda a história da cidade
Vale a pena passear por Istiklal Caddesi e ir ao Pera Palace Hotel por onde andou Agatha Christie
O jardim de Sultanahmet separa a Mesquita Azul da Hagia Sophia
Mandada erigir pelo imperador romano Constantino, a Hagia Sophia é património da humanidade
O quiosque Bagdade é um dos pontos curiosos do Topkapi, antiga residência imperial
O acesso à Torre Galata é sempre muito movimentado



A sua opinião é muito importante para melhorarmos!

Procuramos melhorar cada edição que fazemos. Contamos com a sua ajuda para avaliar este artigo e a revista b. Basta apenas 1 minuto.

Quero dar a minha Opinião