3
A cidade eterna A cidade eterna

City Break

A cidade eterna

A Europa cresceu à volta de Roma, e se esses tempos são apenas memórias do passado, o presente é marcado pela elegância e pelo bom gosto de uma cidade cheia de glamour…

A geografia de Roma é pequena para toda a história milenar que espreita a cada esquina ou surge escondida no subsolo. Conhecer a cidade é como uma caça ao tesouro onde podemos encontrar algumas pérolas, ao mesmo tempo que perdemos muitas gemas tão ou mais preciosas que estão logo ao lado.

Roma é muito mais do que as suas ruínas da Antiguidade Clássica, os palazzi barrocos ou as ruas labirínticas que mantiveram o traçado medieval. Conviver com o caráter efusivo dos romanos, deixar passar o tempo numa esplanada na companhia de um vermute, ou descobrir a essência dos sabores de uma pizza cozida no forno de lenha de uma trattoria perdida faz parte da dolce vita, mas exige tempo. Se ele não existe, o melhor é aproveitar o essencial, porque como se diz por lá “uma vida não é suficiente para conhecer Roma”…

Dia 1

8h30 – 12h30

Para fugir da multidão convém chegar cedo ao Monte Palatino, uma das colinas da cidade. É uma viagem ao passado, pois além do Coliseu, que testemunha mais de 2000 anos da história da cidade, importa descobrir as ruínas dos antigos palácios imperiais e o Fórum que foi o centro político-religioso do império. Seguindo a calçada da Via Sacra chega-se à Cúria, onde funcionou o Senado romano. Mais à frente, o Arco de Settimio Severo (203 d.C.), e ao lado uma pedra circular marca o local que era considerado o “centro do Império”. Por ali há tanto para ver quanto o tempo disponível permita…

13h00 – 17h00

A tarde pode ser dedicada ao centro histórico. A Piazza Venezia é um bom ponto de partida. É fácil encontrar uma trattoria ao longo de um passeio com início na Fontana di Trevi, imortalizada por Fellini no filme La Dolce Vita, mas não se esqueça: atirar uma moeda, por cima do ombro, é a promessa de regresso certo a Roma.

A Via della Colonna Antonina segue em direção da Piazza della Rotonda onde importa visitar o Pantheon, o mais antigo edifício da cidade construído sobre o templo de todos os deuses romanos (27 a.C.) e reconstruído por Adriano (118 d.C.). Logo ao lado, na Piazza della Minerva, está a única igreja gótica de Roma. Em frente um obelisco do séc. VI é suportado por um elefante numa combinação imaginada por Bernini no séc. XVII. Bem perto surge a exuberante Piazza Navona, um antigo estádio romano (séc. I) que se tornou numa joia do Barroco, integrando de forma cénica a igreja de Sant’Agnese in Agone num espaço perfeito para a Fontana dei Fiumi (fonte dos rios) de Bernini. A igreja barroca de Santo António dos Portugueses fica perto, mas é apenas uma curiosidade.

Se houver tempo, é obrigatório visitar Santa Maria Maggiore, a mais bem preservada das quatro igrejas paleocristãs da cidade, onde há traços de todos os estilos arquitetónicos e, no interior, mosaicos garridos do séc. V recordam passagens do Antigo Testamento.

À noite

Antes do jantar, as montras da Via Condotti, uma das zonas comerciais mais exclusivas da cidade, fazem sonhar. A Scalinata Della Trinità dei Monti (escadarias da Trindade dos Montes) levam até à Piazza di Spagna. Vale a pena subir os degraus que os modelos descem na semana da moda. Lá de cima, nos dias mais bonitos, a visão do pôr do sol sobre a cidade é inesquecível. O triângulo formado pelas escadarias, a Piazza del Popolo e a Via Ripetta ganham uma animação nos cafés e em todo o tipo de restaurantes que se estendem até ao Campo dei Fiori.

GettyImages-594042099

GettyImages-595658673

GettyImages-595350799

Dia 2

8h30 – 13h30

Os museus do Vaticano (encerram ao domingo) têm um espólio assombroso e talvez por isso são tão procurados. É importante chegar cedo (abrem às 8h45) porque há sempre filas para a entrada. O percurso está delineado e termina com a visita da imperdível Capela Sistina. A não perder: a Galleria delle Carte Geografiche, as galerias de escultura que reúnem a maior coleção de estátuas romanas, os aposentos de Júlio II com frescos de Rafael (1508), a Pinacoteca com pinturas que vão da Idade Média ao séc. XVIII com obras de Rafael, Leonardo da Vinci e Caravaggio, entre tantos outros.

Depois, a Basílica de São Pedro é imperdível. Impressiona tanto pela grandiosidade da nave com 186 metros de comprimento, como pela cúpula (visitas das 8h às 18h), que se eleva a 136 metros de altitude, para já não falar na beleza da decoração e estatuária.

14h00

O bairro de Trastevere adjacente ao Vaticano é eclético e no centro surge a Piazza Santa Maria in Trastevere, dominada por uma igreja medieval com belos mosaicos dourados. Por perto não faltam restaurantes…

Pela tarde

Passear ao longo do rio Tibre para digerir é uma solução, mas a visita ao Castel Sant’Angelo é mais do que uma alternativa. Foi uma fortificação na Idade Média, foi caserna militar e prisão, até se transformar numa residência papal no séc. XV, numa altura em que foi criado um corredor que dava acesso à Basílica de São Pedro. Do terraço dominado pela estátua de São Miguel, a vista sobre o Vaticano ou sobre o Tibre é excelente.


GettyImages-594042099

Em Roma sê romano…

Hotelopia.pt

Com uma oferta de mais de 35.000 hotéis e apartamentos, encontre o seu alojamento em hotelopia.pt, pague com o cartão Barclaycard e beneficie de 12% de desconto.

Oferta disponível para Clientes Barclaycard.

Quero esta Vantagem  

Barclaycard Extra

Comer e beber


GELATO DI SAN CRISPINO

Os italianos são mestres de gelados artesanais e os irmãos Giuseppe e Pasquale Alongi fazem jus a essa tradição. Mas, atenção, por ali nunca peça um cone porque eles nunca servirão um gelado dessa forma.

  Via della Panetteria 42, 00187, e Via Acaia 56/56a, 00183, Roma
  www.ilgelatodisancrispino.com


GRAN CAFFÈ LA CAFFETTIERA

Perto do Pantheon, assume a sua tradição napolitana. Tem um bar à entrada e é frequentado por políticos e homens de negócios em busca de um expresso ou de um cappuccino. Também serve refeições.

  Piazza di Pietra 65, 00186, Roma
  00 39 060 679 8147
  www.eletroencefalograma.com


BAFFETO

É das mais conhecidas pizzarias de Roma. Localizada no centro da cidade, próxima da Praça Navona, este pequeno restaurante é procurado por turistas e celebridades da cidade. As pizzas são de massa fina e confeccionadas em forno de lenha. As mesas corridas são partilhadas com outros clientes. Não aceita reservas.

  Via del Governo Vecchio, 114, 00186 Roma
  00 39 06 686 1617
  www.pizzeriabaffetto.it



SANT’EUSTACHIO

Em pleno centro histórico, assume a antiga tradição dos cafés italianos. É servido já com açúcar. Por isso, se quiser pouco doce deve pedir con poco zucchero ou se dispensar o adoçante opte pelo amaro.

  Piazza di Sant’Eustachio 82, Roma
  00 39 06 6880 2048
  www.santeustachioilcaffe.it


ANTICO ARCO

Cozinha contemporânea num restaurante com uma vista soberba sobre a cidade. No Monte Gianicolo, este espaço intimista liderado por Patrizia Mattei é um local de referência e por isso é necessário reservar com antecedência.

  Piazzale Aurelio 7, Roma
  00 39 06 581 5274
  www.anticoarco.it


L’ARCHETTO

A trattoria fica perto da Fonte de Trevi. As pastas são a sua especialidade. Possui uma ementa com um leque de combinações muito variada. Há espaço para uma das melhores alcachofas de Roma, um prato típico na comida dos romanos. Possui pizzas e pratos de carne e peixe.

  Via dell’Archetto, 26, 00187 Roma
  00 39 06 678 9064
  www.trattoria-romana.it/a/spaghetteria-larchetto/



IL PAGLIACCIO

Cozinha contemporânea com grande criatividade em pleno centro histórico, com um ambiente moderno e acolhedor. Tem um preço competitivo para o nível culinário do chef Anthony Genovese.

  Via dei Banchi Vecchi 129a, Roma
  00 39 06 6880 9595
  www.ristoranteilpagliaccio.it


AGUSTARELLO A TESTACCIO

É uma trattoria tradicional que honra as tradições da cozinha romana, que privilegia pratos à base de língua, mioleira, rabo de boi, etc., sendo muito procurado pela população local.

  Via Giovanni Branca 98, 00153, Roma
  00 39 06 574 6585


CHECCHINO DAL 1887

Cozinha tradicional italiana, mas em que o borrego é a grande especialidade da casa. O anello alla cacciatore (borrego à caçador) com pequenos pedaços de carne salteada com chilli, anchovas e vinagre de vinho tinto tem uma fama tão grande como a carta de vinhos.

  Via di Monte Testaccio 30, 00153, Roma
  00 39 06 574 3816
  www.checchino-dal-1887.com


A sua opinião é muito importante para melhorarmos!

Procuramos melhorar a cada edição que fazemos. Contamos com a sua ajuda para avaliar este artigo e a revista b. Basta apenas 1 minuto.

  Quero dar a Minha Opinião
×