Eu sou Amsterdão

Chamam-lhe Veneza do Norte, mas a capital holandesa exibe pretextos suficientes para assumir-se como destino por mérito próprio. Da arquitetura singular à profusão de duas rodas, do conjunto de museus únicos à diversidade dos seus sabores, Amsterdão respira charme, boémia e juventude. E a única coisa impossível, por aqui, é ficar-lhe indiferente.

É surpreendente pensar como uma cidade com pouco mais de 200 km2 pode acolher mais de cinquenta museus, mas Amsterdão, como depressa se descobre, é um destino de surpresas e não há como evitar paragens no Rijksmuseum, onde pode ver-se uma gigantesca coleção de obras da idade de ouro neerlandesa, no Museu Van Gogh, no Museu Stedelijk, de Arte Moderna, ou na Casa de Anne Frank; mas também existem atrações menos conhecidas que se destacam pela excentricidade, como o Kattenkabinet, um museu dedicado aos gatos, ou o Bijbels Museum, de bíblias.

Ao longo das ruas, as muitas esplanadas são reflexo de uma cidade onde o convívio é parte da sua essência. É em muitas destas esplanadas, também, que se descobre outra faceta de Amsterdão: os seus sabores. Algumas das especialidades mais famosas são os seus queijos, licores e cervejas (o Heineken Experience, museu da marca de cerveja, é uma das grandes atrações) e não faltam restaurantes onde explorar a cozinha holandesa. O Beddington (www.beddington.nl) é um deles, com uma cozinha que mistura influências inglesas, japonesas e holandesas. Mais tradicionais são o Gretje (www.restaurantgreetje.nl) ou o Hap-Hmm (www.hap-hmm.nl), conhecido pelas suas refeições económicas, ao “estilo da avó”, no melhor dos sentidos. Fora de portas, não deixe de experimentar o patat oorlog, um petisco de rua composto por batatas fritas, cebola frita e molhos servido num cone de papel.

Outra das atrações de Amsterdão são as suas lojas, com destaque para a área de Negen Straatjes, na zona histórica, onde galerias de arte, boutiques e lojas vintage se combinam para satisfazer o desejo de consumo de turistas e habitantes. Para quem procura arte ou antiguidades, o Spiegelkwartier é o local ideal, reunindo mais de setenta antiquários e galerias, com propostas que vão das quinquilharias centenárias às peças mais futuristas.

O facto é que Amsterdão é mais, muito mais. É uma cidade que se desenha de acordo com o olhar de cada um e que convida ao regresso pela promessa constante do que ainda há para ver, fazer e sentir. E assim se parte, sentindo a cidade como nossa, à medida do seu lema: I Amsterdam, eu sou Amsterdão.

Compre os seus bilhetes on-line e evite filas. Com o seu Barclaycard tudo se torna mais easier.

Winter in Amsterdam, por IAmsterdam
(Requer ligação à internet).


Fotogaleria


» Deslize com o dedo para ver mais fotos.

As famosas casas-barco estão por toda a cidade.

O por do sol na zona portuária.

Uma cidade ligada pelas suas pontes sobre os canais.

O charme do fim do dia junto aos canais.

O Museu Van Gogh.

O monumento I Amsterdam abre caminho à Praça dos Museus.

Dica

O Iamsterdam City Card é uma boa opção para quem pretende poupar tempo e dinheiro. Entre outras vantagens, este cartão dá-lhe acesso gratuito a metro, elétrico e autocarros, oferece-lhe um cruzeiro através dos canais, dá-lhe 25% de desconto no aluguer de uma bicicleta e ainda lhe confere entrada gratuita em muitos museus e descontos em atrações, serviços e restaurantes da cidade. Os preços vão dos € 40 (24 horas) aos € 60 (72 horas).

Mais informações em www.iamsterdam.com.