City break

Madrid não para!

Nem o contexto de crise faz abalar o ritmo da capital espanhola! A vida noturna é uma das principais atrações de uma cidade rica em património, cultura e gastronomia.

Basta uma viagem, uma escapada, um fim de semana, um dia. Um instante. O charme de Madrid é percetível até para os viajantes mais distraídos ou inexperientes. Quando o tempo da estadia é limitado, nada melhor do que embarcar numa viagem organizada pelo turismo local. Os roteiros desenhados nem sempre incluem as singularidades mais alternativas da cidade, mas são sempre uma boa escolha para quem quer desfrutar de um panorama geral, sem perder de vista as paragens obrigatórias.

A não perder

Inaugurado em 1916, o Mercado de San Miguel é um dos lugares obrigatórios numa visita a Madrid, não apenas pelos interesses histórico e arquitetónico, mas sobretudo por funcionar como um templo de sabores. Aberto de domingo a quarta-feira até à meia-noite e sexta-feira e sábados até às duas horas.


Luxo acessível

Depois do sucesso da exposição retrospetiva do trabalho de Edward Hopper, o Museo Thyssen apresenta agora El Arte de Cartier, uma mostra onde estão reunidas mais de 420 peças da coleção da casa de joias parisiense, criadas desde a data da sua fundação, em 1847, até à atualidade. Uma forma alternativa de ceder à tentação de uma joia. Até 17 de janeiro.

Em www.esmadrid.com, encontra uma lista detalhada dos lugares que importa visitar, entre eles os incontornáveis Museo Nacional del Prado (www.museodelprado.es), o Museo Reina Sofia (www.museoreinasofia.es) ou o Museo del Arte Thyssen-Bornemisza (www.museothyssen.org), três das principais moradas artísticas. O Palácio Real, residência oficial da família real espanhola, é outro dos símbolos da cidade, agora aberto ao público. Igualmente obrigatória é a visita dominical ao El Rastro, o famoso mercado localizado na Plaza de Cascorro, que se realiza a cada manhã de domingo, fazendo, deste, um dos mais antigos mercados de rua da Europa (e um dos melhores lugares para fazer boas compras!).

O passado do país pressente-se em cada passo, refletindo-se não só na arquitetura, como na própria ambiência da cidade: a Plaza Mayor é exemplo disso mesmo, sendo marcada por ícones locais, como o Arco de Cuchilleros, a estátua de Felipe III (monarca associado à fundação da própria praça) ou a Casa de la Panadería, construída por Diego Sillero, em 1590, e que foi, na época, a única padaria da cidade, mas também um edifício modelo, no qual muitos outros que viriam a surgir nas redondezas se foram inspirar.

Madrid / Espanha 2010, por Lucas Motta. Requer ligação à internet.

Conhecer Madrid é mesmo isto: deambular pelas suas praças, espreitar as vielas mais escondidas e, claro, comer as suas tapas. Em cada esquina, desdobram-se as possibilidades de descoberta, todas elas apostando em sabores tradicionais, alguns deles agora reinventados nos modernos “gastrobares”, que atualizam a herança gastronómica de uma forma contemporânea.

Para ter uma ideia da abrangência e da genuinidade de sabores, importa experimentar os dois lados de uma mesma cozinha, desde as suas origens mais típicas (presentes, por exemplo, na Casa Labra, famosa pelos seus croquetes), como as variações modernas (no Sula, um restaurante-bar no bairro de Salamanca, sobressai o ambiente cosmopolita, mas também o talento de Alberto Cuesta, que criou o menu).

E, para comprovar que famosa movida madrilena é mais do que um cartão-de-visita, nada melhor do que uma incursão na multiplicidade de bares e discotecas da capital ou fazer uma investida na sonoridade do flamenco, outra das instituições locais. E porque, para muitos, Madrid também é Real, é obrigatório estender o passeio até ao Santiago Bernabéu, o estádio do Real de Madrid. Com sorte, e se optar por uma visita guiada, talvez consiga avistar Mourinho e sus muchachos.


Compre os seus bilhetes online e evite filas. Com o seu Barclaycard tudo se torna mais easier.

Fotogaleria


» Deslize com o dedo para ver mais fotos.

A Gran Via

Fachada sul do Palácio Real de Madrid (também conhecido como palácio do Oriente)

Os belos Jardins Sabatini e a fachada sul do Palácio Real

Plaza Mayor

Edifício Metropolis na esquina da Gran Via com a Calle de Alcalá

A entrada do museu Thyssen-Bornemisza

As tertúlias entre amigos fazem parte das rotinas diárias

As típicas tapas espanholas, sempre prontas para "picar"

Rebajas

Os saldos em Madrid ainda estão longe, mas a capital espanhola é sempre sinónimo de boas compras. Aproveite as vantagens que o seu cartão de crédito Barclaycard lhe oferece. Na Calle de Serrano, descobrem-se algumas das melhores marcas internacionais (Gucci, Chanel, Louis Vuitton, Carolina Herrera ou Agatha Ruiz de la Prada), mas há muitas alternativas espalhadas por toda a cidade. Vale a pena investir algum tempo e atenção em dois bairros: Triball (por detrás da Gran Vía, caracterizado pelas lojas mais originais, que vão da moda, às galerias de arte, passando pela gastronomia) e Las Salesas (o bairro onde Jesus del Pozo nasceu e onde abriu a sua primeira loja para homem), marcado pela multiplicidade de lojas, estilos e inspirações.