revista b / fim de semana

Fim de semana / Marvão

Passeios de história e natureza

O norte alentejano tem uma povoação fortificada que encaixa no cenário do Parque Natural da Serra de São Mamede: Marvão. No topo de um monte rochoso, a 860 metros de altitude, é um convite tentador para quem gosta de encontrar riquezas históricas e naturais num só lugar.



Fundada pelo árabe Ibn Maruan no século IX, a vila medieval do Marvão, no alto da Serra do Sapoio, alberga várias construções caiadas de branco e um castelo, num conjunto amuralhado, classificado como património de interesse público. Do cimo da fortificação, que conserva em bom estado as edificações do tempo em que servia de praça militar, é possível avistarmos as serras da Estrela, da Gardunha, de São Mamede e até a vizinha Espanha. No ponto mais alto da vila, encontra-se o largo da Igreja de Santa Maria, há muito fechada ao culto e convertida em Museu Municipal de Marvão.

A melhor forma para descobrir Marvão é mesmo deixar-se levar a pé pelas ruas, travessas e escadas de pedra, ricas em detalhes arquitetónicos. Na parte baixa da vila, ficam as igrejas do Calvário, obra do século XIX, e do Espírito Santo, que, na época medieval, servia de casa de assistência e que foi precursora da instituição da Misericórdia.

As ruas de Cima, das Portas da Vila e do Relógio procedem a três portas da cerca urbana medieval, as Portas de Ródão, da Vila e o Postigo do Torrejão, e confluem na Câmara Velha, que é Casa da Cultura de Marvão desde 2003 e antigo edifício dos paços do concelho, onde pode consultar-se o arquivo histórico municipal. Diante da antiga câmara municipal, na Praça do Pelourinho (ou Praça da Vila), está edificado este marco manuelino. Ali mesmo pode visitar-se a Torre do Relógio, torre manuelina, através da qual se pode aceder às prisões do rés-do-chão da Câmara Velha, que deram lugar a uma loja de artesanato e a uma sala de exposições.

Descendo do pelourinho até à Porta da Vila, segue-se até ao Convento Franciscano de Nossa Senhora da Estrela e, ali, no adro, encontra-se um cruzeiro manuelino que recebeu, em 1922, a classificação de monumento nacional. Já extra muralhas passeie pela calçada que une Marvão a Portagem, cuja ponte em granito sobre o Rio Sever é um dos muitos ex-libris do concelho.








Coordenadas

Degustar a gastronomia local

Chibo de cachafrito, migas de batata, alhada de cação e sopas de cachola nos restaurantes da vila, como a Varanda do Alentejo, Dom Manuel ou a Casa do Povo.

Visitar a Cidade Romana de Ammaia

Na Freguesia de São Salvador da Aramenha, situam-se as ruínas desta cidade romana, no coração do Parque Natural da Serra de São Mamede, a curta distância da Barragem da Apertadura e a meio caminho entre Marvão e Castelo de Vide.

Descobrir a cultura...

O Centro de Interpretação Cultural e Ambiental do Moinho da Cova está instalado num antigo moinho de água junto à praia fluvial do Rio Sever Portagem e, reproduz a típica moagem de forma interativa. Aproveite ainda para conhecer o mercado de Marvão, aos sábados.

Divertir-se nas festividades

O concelho de Marvão é animado por eventos ao longo de todo o ano, como as quinzenas e feiras gastronómicas nos meses de fevereiro, abril, maio, julho e novembro, festivais de música popular em junho e julho e festas populares em nome da Nossa Senhora em agosto e setembro.

A torre de menagem, de planta quadrada, domina a linha interna das muralhas Vista do castelo, outrora conhecido como "Ninho das Águias", a 860 metros de altura O pano de muralhas do castelo As típicas casas caiadas do Alto Alentejo A vila dentro das muralhas convida a um passeio a pé A igreja matriz de Marvão, consagrada a Santiago, guarda no interior um rico retablo de talha barroca e painéis de azulejos