revista b / destino de sonho

Destino de sonho / Açores

Um paraíso nacional

Suspensa no tempo, abençoada pela Natureza, mágica em qualquer altura do ano, São Miguel, a maior das ilhas açorianas, é bela sem senão.



Que os Açores são uma terra mágica, já se sabe. Ilhas abençoadas pela Natureza, mas também tantas vezes atormentadas por ela. Esse pulsar natural sente-se mal se aterra em São Miguel, a maior das nove ilhas do arquipélago, com uma superfície de 746 metros quadrados e com 64,7 km de comprimento. Os números, estes ou outros, serão sempre escassos para descrever a beleza local, preenchida por muitas atrações que quatro dias não esgotam.

A Lagoa das Sete Cidades é um dos pontos incontornáveis de romaria turística e basta lá chegar para perceber porquê: o maior reservatório natural de água doce de superfície dos Açores, classificado como paisagem protegida, tem um enquadramento de cortar a respiração, marcado pela dupla coloração dos dois espelhos de água, um verde e outro azul. Mais discreta, mas igualmente imperdível, é a Lagoa do Fogo, classificada como reserva natural em 1974. Vale a pena descer até às suas margens e pressentir o vulcão, velho de mais de 15 mil anos, que por ali habita. Nas imediações, descobre-se a Caldeira Velha, um parque natural com quase 12 mil hectares.

Na rota do património histórico, destacam-se paragens como a Ribeira Grande ou a bonita Vila Franca do Campo, antiga capital da ilha. Depois, todos os caminhos vão dar às Furnas. Após saborear o cozido, que por ali é confecionado em panelas enterradas nas terras aquecidas pelos vapores vulcânicos, recomenda-se um passeio até ao Centro de Monitorização e Interpretação das Furnas, projetado pelo arquiteto Aires Mateus. Continuamos em direção ao Faial da Terra, a vila presépio que é também o ponto de partida para um passeio até ao Salto do Prego, miradouro onde está prometida uma daquelas paisagens em jeito revelação.

Por fim, a capital, Ponta Delgada. Além de monumentos, como o Núcleo de Arte Sacra do Museu Carlos Machado ou a Igreja Matriz de São Sebastião, impõe-se uma incursão matinal pelo Mercado da Graça, onde pode abastecer-se de especialidades locais, como o ananás ou os queijos de São Jorge, sem esquecer os licores de maracujá, o tradicional vinho da Ilha do Pico ou uma embalagem de chá da Gorreana. Sabores intensos e marcantes, perfeitos para prolongar a experiência dos Açores quando já em casa.

A Lagoa das Sete Cidades é um dos pontos incontornáveis (…), marcado pela dupla coloração dos dois espelhos de água, um verde e outro azul.

















Coordenadas

Fábrica de Chá Gorreana

Fundada em 1883, é a única fábrica da Europa onde ainda se produz chá. Aproveite para se abastecer e ficar a saber todos os detalhes sobre a história e o processo de produção. www.gorreana.com

Lagoa do Congro

Menos turística do que outras, vale a pena pelo mistério que encerra. O acesso não fácil, mas vale a pena cumpri-lo para descobrir uma lagoa mágica envolta em tranquilidade.

Parque Terra Nostra

Os jardins, criados em 1780, enquadravam a residência de verão de Thomas Hickling, o cônsul dos Estados Unidos em São Miguel. Aproveite o lago de água vulcânica onde é possível tomar banho. www.parqueterranostra.com

A marginal de Ponta Delgada A zona histórica de Ponta Delgada, prolongou-se com novos edifícios A zona das Portas da Cidade, em Ponta Delgada O ilhéu em frente a Vila Franca do Campo Os jardins da cidade de Ribeira Grande A Caldeira Velha não fica longe da cidade da Ribeira Grande As Fajãs são as pequenas parcelas agrícolas nas encostas da ilha As fumarolas na povoação das Furnas As lagoas fazem parte do encanto da ilha de São Miguel A Lagoa do Fogo, nem sempre visível devido ao nevoeiro