revista b / lifestyle

Lifestyle

Parques e jardins: venha passear!

Saia de casa e respire ar puro nos vários jardins e parques de Lisboa e do Porto, onde pode passear, relaxar, exercitar-se e divertir-se. Sugerimos refúgios verdes fantásticos para arejar a cabeça e o corpo, lugares livres de qualquer encargo, senão o da diversão, da descontração e da boa disposição. Venha daí!



Em Lisboa

Jardins de Belém

À volta destes jardins, encontra alguns dos lugares de visita obrigatória em Lisboa, como o CCB (Centro Cultural de Belém), onde pode ver, gratuitamente, a exposição permanente e as exposições temporárias do Museu Coleção Berardo, e apreciar monumentos emblemáticos da nossa História, como os Jerónimos, o Padrão dos Descobrimentos e a Torre de Belém. Vale a pena seguir à beira Tejo para visitar também o Museu da Eletricidade.

Parque Eduardo VII

É o maior espaço verde urbano de Lisboa, se levarmos em conta que Monsanto não está no coração da cidade. No alto, oferece-nos uma das melhores vistas da cidade, com o relvado central a desembocar na Praça Marquês de Pombal. No Jardim da Amália, a esplanada do Linha de Água é ideal para uma refeição ligeira com a família. Frente aos hotéis da Rua Castilho, um parque infantil faz companhia os courts de ténis do Clube VII.

Príncipe Real (Jardim França Borges)

Próximo do Bairro Alto, este jardim romântico data do século XIX e abriga um cedro-do-Buçaco, com mais de vinte metros de diâmetro, uma árvore classificada como sendo de interesse público, assim como o reservatório subterrâneo de água da Patriarcal. Aos sábados, o mercado de produtos de agricultura biológica é um dos muitos eventos que aqui se realizam. Além do famoso quiosque de deliciosos refrescos tradicionais, este espaço convida a desfrutar da esplanada, do lago, do parque infantil ou, se preferir, das mesas de merenda, ideais para um piquenique.

Jardim da Estrela

O nome oficial é Jardim Guerra Junqueiro, mas toda a gente o conhece como Jardim da Estrela. Este espaço, no Largo da Estrela, está aberto entre as 7h e a meia-noite e é ótimo para tomar um café na esplanada ou para levar as crianças a brincar no parque infantil e ver os patos que por ali andam. Mais acima, em Campo de Ourique, na Rua Coelho da Rocha, não deixe de visitar a Casa Fernando Pessoa. A entrada é gratuita!

Jardins do Parque das Nações

Esta zona dinamizada desde a Expo 98 tem um conjunto de espaços verdes muito agradáveis para passear, passar o tempo ou fazer algum exercício físico. Desde o espaço da Alameda dos Oceanos até aos Jardins d’Água ou ao Jardim Sul, há uma grande margem de escolha.

Parque Florestal de Monsanto

O pulmão da capital convida a fazer piqueniques numa das suas zonas de merendas, a fazer jogging e outros desportos (há muitos circuitos de manutenção espalhados pelo parque), a passeios de bicicleta, a brincar num dos muitos parques recreativos (Alvito ou Alto da Serafina) ou simplesmente descansar na relva (na Mata de São Domingos de Benfica ou no Calhau). Vale a pena descobrir ainda os miradouros, com vistas fabulosas sobre a cidade, e os dois moinhos, ainda em bom estado de conservação, no bonito Parque de Santana (Restelo/Ajuda).



Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian

Este espaço mágico oferece um ambiente de paz no meio do rebuliço da cidade. Ideal para relaxar, levar um livro como companhia e respirar ar puro, este jardim verde e tranquilo convida também a visitar as exposições ali disponíveis e que são de entrada gratuita aos domingos ou a ver os patos que se banham no enorme lago. Aproveite!



No Porto

Parque da Cidade

Projetado pelo arquiteto Sidónio Pardal, é o maior parque urbano do país, com oitenta hectares e cerca 8,5 quilómetros de caminhos. Preenchido por amplos relvados, pequenos bosques, espelhos de água, vegetação aquática, animais, lagos, trilhos e miradouros, é também ideal para piqueniques e para a prática de desporto ou, simplesmente, para estar em contacto com a Natureza. Ideal para um passeio entre a Boavista e a marginal de Matosinhos.

Jardins do Palácio de Cristal

Os Jardins do Palácio de Cristal, a Quinta da Macieirinha, onde se encontram o Museu Romântico e o Solar do Vinho do Porto, e a Quinta Tait compõem este magnífico parque, com oito hectares de plantas exóticas e árvores raras, roseirais, fontes, um lago com patos e cisnes e animais diversos. A Avenida das Tílias constitui o eixo deste parque e está ladeada pela Biblioteca Municipal Almeida Garrett e pela Galeria do Palácio, a Concha Acústica e a Capela de Carlos Alberto. Vale a pena subir ao miradouro da torre para contemplar a panorâmica sobre a cidade e o Rio Douro.

Jardim da Arca d’Água

O nome deve-se à fonte e aos reservatórios de água existentes naquele que é um dos mais agradáveis jardins da cidade e um dos preferidos das famílias, ou não fosse este o lugar onde está a escultura de Charters de Almeida, inaugurada em 1972 e intitulada A Família. Ali, habitam árvores frondosas, um lago com alguns animais, delimitado por vedações de madeira, uma gruta artificial e vários recantos verdes para desfrutar.

Quinta do Covelo

Amplo e muito arborizado, este parque é ótimo para passear ou para praticar desportos, como futebol, jogging ou andar de bicicleta. Esta antiga quinta rural, também conhecida como Quinta de Paranhos, outrora, foi o campo de futebol do Salgueiros. Agora, neste espaço de lazer de oito hectares, também se ensina agricultura biológica às crianças.

Jardim da Corujeira

Ideal para a prática de desporto, este grande jardim também pensa no lazer das crianças e, por isso, tem um excelente parque infantil. As mesas e os bancos também não faltam, para lanchar ou descansar. E é um local propício à meditação, já que goza de uma atmosfera muito tranquila.

Jardim da Fundação de Serralves

Instalado nos terrenos da antiga quinta de veraneio do segundo Conde de Vizela, que os ajardinou e aí mandou plantar um bosque, os jardins e a Casa de Serralves foram, depois, vendidos a Delfim Ferreira, Conde de Riba d’Ave, e, em 1986, passaram para domínio público. O parque circunda o espaço museológico da fundação e tem caminhos e uma esplanada adequados a bons momentos de lazer. No museu e nos jardins, há programas e animação ao longo do ano, alguns deles pensados para as crianças.