revista b / fim de semana

Fim de semana / Sagres

Mar e história

Desacelerar o ritmo, aplaudir o pôr do sol ou comer deliciosos percebes são algumas das sugestões para ir à descoberta do lugar de onde partiram muitos descobridores e que ainda mantém uma forte ligação ao mar.



A força da natureza é evidente na ponta mais a sudoeste da Europa continental, perto do Cabo de São Vicente: Em Sagres, tanto desfrutam os amantes de passeios na praia como os aficionados da pesca, do mergulho ou dos desportos mais radicais, como o surf ou o parapente. Independentemente da motivação do viajante, uma coisa é garantida: a tranquilidade oferecida por um ambiente que ainda preserva uma pureza natural intacta neste extremo do Algarve.

Depois de ter sido o ponto de partida de muitos exploradores na Era dos Descobrimentos, como o Infante D. Henrique, Sagres continua a manter a sua ligação íntima com o mar. No porto pitoresco da Ponta da Baleeira, os finais de tarde são animados pelos pescadores que ali se juntam depois de regressarem da faina e é também ali que se pode embarcar em passeios para observar os golfinhos que passam muitas vezes por aquele mar. Seja num dos muitos barcos de pesca, seja a pé ou de carro, vale a pena desfrutar da paisagem das arribas recortadas e areais a norte do Cabo de S. Vicente, locais de eleição entre os surfistas (como a praia do Tonel) e os praticantes de parapente. A sul, Sagres oferece alternativas em areais mais abrigados e as grutas submersas das falésias calcárias da Mareta (praia próxima da vila) ou das ilhotas ao largo do Martinhal são ideais para quem gosta de mergulhar.

A forte relação desta vila piscatória com o mar sente-se também no centro, precisamente na Praça da República, onde se pode observar a rotina diária das gentes locais misturada harmoniosamente com os visitantes. Durante todo o ano, os bares e restaurantes de Sagres são animados pelos surfistas e turistas que rumam às praias ou que degustam as especialidades gastronómicas ali disponíveis. O peixe fresco é o ingrediente principal de muitas ementas cuja variedade é imensa, começando pelos percebes, passando pelos chocos, o sargo grelhado, a moreia frita, ou a massa de peixe. De notar que durante a época de caça (entre outubro e dezembro), também é comum confecionarem-se pratos de javali, perdiz, codorniz, lebre ou coelho bravo.

Sagres é também conhecida pelo Cabo de São Vicente, carregado de história, com a sua fortaleza classificada como monumento nacional, e a sua bela rosa dos ventos. E não será menos famosa pelo seu pôr do sol sobre o mar, um espetáculo que costuma receber aplausos por parte de quem se desloca a um dos muitos promontórios ali existentes.

Já a praia do Martinhal está numa situação geográfica especial que permite a observação do nascer do sol vindo da água. Há pois, todos os motivos e mais algum para se partir tranquilamente à descoberta deste lugar onde a terra acaba e o mar começa.










Coordenadas

Conhecer as praias:

A Costa Meridional a sul é composta por numerosas enseadas e baías. Vale a pena conhecer as praias do: Burgau, Cabanas Velhas, Boca do Rio, Salema, Figueira, Furnas, Zavial, Ingrina, Barranco, Martinhal, Mareta, Tonel e Beliche. Já a Costa Ocidental a norte do Cabo de S. Vicente, é mais recortada e composta por arribas onde ficam as praias: Telheiro, Ponta Ruiva, Castelejo, Cordoama, Barriga e Murração.

Explorar as Ilhas do Martinhal:

Existem pequenas ilhas rochosas à saída do porto de pesca de Sagres e em frente à Praia do Martinhal. Trata-se de uma formação rochosa que emerge de 20 metros de profundidade no mar.

Praticar desporto:

A região de Sagres tem características naturais para a prática de uma grande variedade de desportos como: trekking, vela, pesca, mergulho, windsurf, surf, kite surf ou golfe.

Degustar a gastronomia:

Vale a pena experimentar a variedade de pratos típicos da região num dos muitos restaurantes da região: o As Dunas, especializado em peixe fresco e marisco junto ao Beach Club no Martinhal Beach Resort & Hotel (Em frente ao restaurante existe um espaço com areia e um trampolim para crianças); no Mar à Vista, na praia da Mareta, os pratos de peixe também imperam num ambiente “caseiro”, serviço simpático e excelente vista mar; A Tasca é um dos mais antigos da região e tem um terraço que deixa ver o Porto de Pesca da Baleeira; e o acolhedor Vila Velha, na rua da pousada, oferece uma cozinha inovadora e de qualidade com a frescura dos ingredientes locais, além de pratos vegetarianos.

Passear nos arredores:

Bem próximos de Sagres podem visitar-se os castelos de Silves, Aljezur e Alcoutim, que evocam a presença árabe na zona e onde abundam belos exemplos de talha dourada e azulejos nas igrejas barrocas.



Vista área de Sagres, com a praia da Beleeira, o porto de abrigo e a lota, em primeiro plano, a pousada e a Ponta de Sagres, ao fundo Farol do Cabo de São Vicente, no extremo sudoeste da Europa Praia da Mareta, o areal mais extenso das praias vizinhas de Sagres Praia do Beliche, uma das preferidas pelos surfistas Os ilhotes da enseada, em frente à praia do Martinhal Duas opções para ver o pôr do sol em Sagres; virado a sul ou a ocidente, de caras para o oceano aberto O cenário e as condições naturais são propícios para a prática de desportos radicais de mar, como o surf ou o bodyboard