revista b / gente barclaycard

Gente Barclaycard

Xutos para sempre

Os Xutos & Pontapés comemoram 35 anos de carreira. A data é assinalada com o lançamento do novo álbum Puro e a realização de um concerto que promete dar que falar! Continuar a surpreender os fãs com novas músicas é o que move a maior banda do rock português.




Discografia Completa

Álbuns de Estúdio

78/82 (1982)
Cerco (1985)
Circo de Feras (1987)
88 (1988)
Gritos Mudos (1990)
Dizer Não de Vez (1992)
Direito ao Deserto (1993)
Dados Viciados (1997)
Tentação (1998)
XIII (2001)
Mundo ao Contrário (2004)
Xutos & Pontapés (2009)
Puro (2014)

Álbuns ao Vivo

Ao Vivo (1988)
Ao Vivo na Antena 3 (1995)
1º de Agosto no Rock Rendez-Vous (2000)
Sei Onde Tu Estás (2002)
Nesta Cidade (2003)

Singles

Sémen (1981)
Toca e Foge (1982)
Remar Remar (1984)
Barcos Gregos (1986)
Saí P'ra Rua (1987)
Contentores (1987)
7º Single (1987)
Para Ti Maria (1988)
Submissão (1989)
Inimigos: Tu Aí (1990)
Chuva Dissolvente (1992)
Estupidez (1993)
Dá um Mergulho (1997)
Manhã Submersa (1997)
Para Sempre (1998)
Ai se ele cai (2004)
Sexta-Feira 13 (2006)
É Tão Fácil (2007)
Quem é Quem (2009)
Perfeito Vazio (2009)

São 35 anos de carreira e de sucessos, a reinar nos palcos portugueses e a marcar o rock. Com mais de 18 álbuns editados, os Xutos são uma banda que continua a arrastar multidões e a provocar a euforia do público. Os concertos e as digressões pelo País marcam o sucesso da carreira do grupo, com legiões de fãs a aplaudirem músicas e letras que se tornaram uma herança da história da nossa música e que são hoje verdadeiros hinos.

Duas guitarras, uma bateria, um saxofonista e um baixo/vocalista, Zé Pedro, João Cabeleira, Kalú, Gui e Tim são, respetivamente, os cinco elementos que constituem esta banda, cujo legado atravessa gerações, juntando pais e filhos a celebrar canções como A Minha Casinha, Homem do Leme, Não Sou o Único, Contentores e tantas outras.

A comemorar este 35º aniversário, a mítica banda portuguesa acaba de lançar um novo álbum, chamado Puro, que será apresentado ao vivo a 7 de março, no Meo Arena, em Lisboa, num concerto que marcará o arranque de mais uma grande digressão nacional. No espetáculo vão ser recordados alguns dos maiores êxitos da história da banda e apresentados os temas que fazem parte do mais recente trabalho.

A obra promete. Intervencionista quanto baste, é, segundo o guitarrista Zé Pedro, “um reflexo do que se está a passar atualmente em Portugal, com temas que caracterizam a situação que se vive, como na faixa Da_Nação, em que se pergunta: ‘Onde é que eles foram? Onde é que eles estão? Esses que eram o futuro da Nação.’ O novo disco fala daqueles que nos últimos anos têm partido de Portugal à procura de futuro melhor e avança pelas causas sociais, como em O Milagre de Fátima, em que o vocalista canta: “Que se cante o fado/ que se louve a saudade/ este País quer mais futebol/ que nada se passe/ a não ser a fome/ e que o País por fim/ apodreça.”

Tudo começou há 35 anos quando os Xutos & Pontapés deram o seu primeiro concerto. Foi a 13 de janeiro de 1979 que se apresentaram ao vivo pela primeira vez, no palco dos Alunos de Apolo, em Lisboa, por ocasião da comemoração dos 25 Anos do Rock & Roll, inaugurando uma caminhada que os viria a tornar uma das bandas mais emblemáticas de Portugal.

Dois anos depois, em 1981, lançam Sémen, primeiro single da banda e que rapidamente se torna um êxito. Em 1987 “a carga pronta e metida nos contentores” torna-se um grito na rádio e o single Contentores, retirado do álbum Circo de Feras. Resultado: um êxito de vendas aclamado pela crítica, fechando esse ano como disco de ouro, com 20 mil cópias vendidas, devido a hinos como Contentores, N’América ou Não Sou o Único. Ainda em 1987, o pavilhão do Belenenses junta mais de seis mil fãs e, no fim desse ano, os Xutos lançam o seu 7º single, com a versão rock A Minha Casinha, que se torna disco de platina com mais de 50 mil cópias vendidas.

O percurso dos Xutos & Pontapés não se esgota nos palcos e discos. Em 1998 estreiam-se no cinema, com a banda sonora do filme Tentação e, em 1999, a celebrar 20 anos de carreira, com uma banda sonora para o filme Inferno.
Os anos passam e os Xutos continuam a sua escalada de sucesso, com uma presença imparável nos concertos,  atraindo cada vez mais pessoas com o lançamento de novos álbuns e até de um DVD com a história da banda, retratada pelos próprios. Em 2009, por altura da comemoração do 30º aniversário da banda, voltam a irradiar o palco, dessa vez com mais de 40 mil espectadores a assistirem a um concerto memorável no Estádio do Restelo.

Hoje são 35 anos de sucesso, 35 anos a ouvir Xutos. E é assim que vai continuar a ser. Enquanto houver rock, enquanto houver Xutos & Pontapés, enquanto houver música. Enquanto houver vida!



O novo álbum Puro é, segundo o guitarrista Zé Pedro, “um reflexo do que se está a passar atualmente em Portugal, com temas que caracterizam a situação que se vive, como na faixa Da_Nação, em que se pergunta: 'Onde é que eles foram? Onde é que eles estão? Esses que eram o futuro da Nação.'”


Curiosidades

1 Os Xutos & Pontapés têm finalmente uma casa. Um edifício de três andares com escritório, estúdio, garagem e a oficina dos Xutos & Pontapés. Antes, o som dos instrumentos era gravado num sítio e as vozes noutro. Com a mudança para a nova casa, podem gravar tudo no mesmo sítio.

2 Além da edição do álbum, os Xutos & Pontapés vão assinalar o 35º aniversário de carreira com um jantar em Londres! Fazem sempre coisas diferentes nas datas especiais. Este ano vão jantar ao estrangeiro.

3 Os Xutos & Pontapés já têm edições especiais de vinho com o seu próprio nome! O vinho já está além­‑fronteiras, a ser vendido em superfícies comerciais de países como Angola, Cabo Verde, França e Bélgica.

4 Um dos momentos marcantes da sua carreira foi quando fizeram a primeira assinatura com uma companhia discográfica, a Polygram (a atual Universal), em 1987. Foi um marco. A partir dessa data, com o álbum Circo de Feras, chegaram ao grande público. Antes disso, já eram conhecidos mas por um público limitado, mais underground. A edição deste disco por esta companhia marca o início do pico da carreira. Outro momento marcante foi a comemoração dos 20 anos de carreira, no Pavilhão Atlântico em Lisboa, com um concerto indescritível.

5 Os Xutos & Pontapés são considerados uma das banda que mais concertos faz em Portugal. Já encheram o Pavilhão Atlântico e tiveram 20 grupos a interpretar 20 músicas suas, por ocasião dos 20 anos!