revista b / city break

City break

Zagreb e Split: união perfeita de cultura com praia

Sugerimos que conheça duas joias da Croácia: Zagreb e Split. A capital é mais cultural. Split está mais vocacionada para o sol e para o mar. Dois destinos diferentes, que se complementam, tendo a uni-los o encanto tão característico deste país dos Balcãs.



Zagreb, a cidade­‑ferradura

Zagreb, a capital da República da Croácia, é a cidade populosa do país, mas nem por isso se sente um reboliço inquietante. Antes pelo contrário, nas ruas da cidade respira-se o oxigénio puro libertado pelas muitas árvores que a povoam e uma tranquilidade e uma harmonia que renasceram, depois de a cidade ter sido completamente remodelada após a guerra dos Balcãs. As construções são em tons amarelos e rosados, as cores que utilizava o Império austro­‑húngaro quando dominava o país. Zagreb está construída em formato de U de ferradura, (o formato do país no mapa) e tem oito praças com belíssimos jardins. A praça central no centro Ban Jelačić é ponto obrigatório para quem a visita. Aqui concentram-se as linhas do elétrico, o mercado, as lojas, as esplanadas, os restaurantes, os cafés – aliás, o que não faltam são lugares para tomar café (de excelente qualidade, note-se!) –, para petiscar, lanchar, ou simplesmente admirar quem passa e sentir a alma da cidade.

Em volta do mercado de Dolac há muitas opções convidativas. É certo que a praça central é animada, talvez por servir como ponto de encontro dos jovens, sobretudo ao fim da tarde e à noite. Para quem gosta de diversão, pode contar que a capital croata oferece muitas possibilidades, já que discotecas e bares estão um pouco por toda a cidade. Nas ruas próximas do mercado, assim como nas praças Katarinski, Brae Hrvatskog Zmaja e Sv. Markov, podem encontrar-se muitos bares para se tomar um copo, discotecas para dançar e até clubes para se ouvir música ao vivo.

Ao fundo, a praça central é um bom ponto de partida para se conhecer a cidade. Ali apanha-se o elétrico para se partir à descoberta da capital, de norte a sul, da periferia de Zagreb, numa ponta, até o início da zona rural, na outra. Em Gornji Grad vale a pena visitar a praça principal de São Marcos (Markov). Nessa praça situa­‑se a Igreja de São Marcos ou Crkva Svetog Marka, construída no século XIII, e que foi a catedral da cidade. Destaca-se o seu colorido teto de azulejos, com os escudos da Croácia e de Zagreb. Mesmo em frente, ergue-se o Parlamento, edifício neoclássico construído em 1910, onde se decidiu e votou a separação e a independência da Croácia, que integrava a antiga Jugoslávia. Também a merecer visita, o antigo ateliê do mais conhecido escultor e artista plástico croata, Ivan Meštrović (1883-1962). Não deixe de visitar o Parque Maksimir, que inclui o Jardim Zoológico de Zagreb, um grande bosque e um lago, em frente ao estádio de futebol Maksimir. Outro ponto de visita obrigatória é o maior museu de Zagreb e da Croácia, o Museu de Arte Contemporânea, que tem um acervo de quatro mil obras de arte.

Sabia que...

A adesão da Croácia à União Europeia ocorreu em 1 de julho de 2013, sendo o segundo país formado a partir do território da ex-Jugoslávia a ingressar na UE, depois da Eslovénia em 2004.








Uma sugestão diferente para se conhecer a história desta cidade é o cemitério Mirogoj de Zagreb, utilizado por todas as religiões, dividido pelas cúpulas das torres existentes. São três torres destinadas aos judeus, duas torres para os ortodoxos, duas torres muçulmanas e o espaço restante destinado aos católicos, que constituem a maioria da população.

As duas altas torres neogóticas da Catedral Sv. Stjepana, e a Catedral de Santo Estêvão, na colina Kaptol, coroam a cidade. Junto à Catedral, o Palácio Arcebispal é um enorme complexo de edifícios barrocos, que alberga a capela românica de Santo Estevão Protomártir, do século XIII. Em redor da Catedral, todos os dias tem lugar um mercado, com fruta, legumes frescos e artesanato local, como os típicos apitos, os corações vermelhos e outros brinquedos de madeira.

Outra sugestão é ir até ao terminus da linha do elétrico, ao fim da tarde e, já na parte alta da cidade, apreciar a vista ao por do sol sobre os telhados de Zagreb.






Curiosidade

Se vai à Croácia, compre uma gravata

Na Croácia, pode comprar muita coisa, mas há um souvenir especial: a gravata. Parece que foi originalmente utilizada sob a forma de lenço atado ao pescoço pelos soldados croatas, para se protegerem do frio, quando  foram recrutados pelo Rei de França. Por volta de 1650, a gravata instala-se no pescoço e na corte do Rei Luís XIV. Reza a história que as mulheres croatas, ao despedirem-se dos seus maridos quando estes partiram para a guerra, lhes davam lenços, uma espécie de lembrança e de consolo. E os homens usavam o lenço ao pescoço como prova de fidelidade. Potomac é a fábrica mais famosa das gravatas croatas.


Split, à beira-mar

Banhada pelas águas do Adriático, Split está localizada na parte central da Croácia, a 30 minutos de voo de Zagreb. É uma cidade­‑porto, que marca o início da costa da Dalmácia e que serve de ponto de partida para descobrir as quase 1.200 ilhas que se espraiam pela região. Todos os dias durante o verão saem catamarãs e ferries rumo às ilhas Brač, Vis, Kornati, Rab ou Hvar, considerada a Saint‑Tropez do Adriático, com as suas águas cálidas em tons azuis e esverdeados. Esta famosa ilha serviu como porto de apoio para as navegações venezianas, que vinham do Oriente, no século XIII. Na costa da Dalmácia há muita luz e muitas horas de sol, que desperta pelas 7h da manhã e só se põe já perto das 10h da noite. Aqui os dias são longos e há muito para fazer, a começar logo no centro desta cidade turística e que, ao mesmo tempo, preserva o seu charme e as suas construções históricas.

O centro histórico foi uma fortaleza e tem fortes traços da cultura veneziana, com edificações de pedra calcária. Ao caminhar pelas ruas percebe­‑se por que razão Split foi declarada pela UNESCO como Património Mundial. As muralhas romanas do período do imperador Diocleciano (século III) combinam-se com as erguidas no século XIV, para proteção contra os ataques dos turcos. O Templo de Diocleciano destaca-se com uma referência da cidade, já que Split nasceu em torno deste local. Reza a história que o Imperador tinha a sua casa de verão na costa da Dalmácia, à época uma província romana.

Ao lado do Palácio de Diocleciano, estão a Catedral de Saint Duje, e a estátua de Gregório de Nin, da autoria de Ivan Mestrovic. Diz a lenda que tocar no pé da estátua do religioso croata do século X traz boa sorte. Em Split também há muitos museus para visitar, como o Museu Marítimo, o Museu de Monumentos Arqueológicos Croatas e o Museu da Croácia.

Saindo da zona histórica, pode passear-se ao longo da orla marítima da cidade, parar para tomar um café ou beber um refresco num dos muitos terraços e apreciar o por do sol na praia. A oeste do centro descobrem-se bosques que levam a praias escondidas, com um ou outro bar à beira­‑mar.

Há também uma vasta oferta de atividades recreativas e desportivas, destacando-se os passeios pedestres ou os mergulhos nas águas cristalinas do Adriático. A verdade é que quem por aqui passa descobre que os tesouros estão bem guardados, naquela que é a maior cidade croata na costa do mar Adriático e a segunda maior do país, depois da capital, Zagreb.









Sabia que?

Pode repartir as suas compras para valores acima de €250 e pagar em prestações fixas mensais.
Saiba mais em barclaycard-extra.com.
TAEG 19,2% Exemplo para um financiamento de €1.000, com reembolso em 36 prestações fixas mensais de €35,65 à Taxa de Juro Nominal (TAN) aplicável de 17,00%. Montante total imputável ao consumidor de €1.294,84. Às prestações apresentadas acresce imposto do selo sobre juros à taxa em vigor.


Fotogaleria

Ao final da tarde, na parte mais alta da cidade, é possível apreciar a vista do pôr do sol sobre os telhados de Zagreb. A moderna linha do elétrico contrasta com os edifícios históricos da cidade. Nos dias quentes de verão, Zagreb convida a parar e descansar um pouco nas suas oito praças com belíssimos jardins. A capital croata construída em formato de U ou ferradura, oferece vários monumentos de interesse cultural para conhecer. Muitas das construções de Zagreb são em tons amarelados e rosados, as cores utilizadas pelo Império Austro-húngaro quando dominava o país. Vale a pena conhecer. Banhada pelas águas do Adriático, Split é o lugar ideal para passear e desfrutar dos dias longos. O sol desperta pelas 7h e só se põe já perto das 22h. Vale a pena descobrir o centro histórico de Split, que foi uma fortaleza e tem fortes traços da cultura veneziana com edificações de pedra calcária. Split foi declarada Património Mundial da UNESCO. O centro desta cidade turística preserva na perfeição o seu charme e as construções históricas. Durante o verão, saem diariamente catamarãs e ferries rumo às ilhas Brač, Vis, Kornati, Rab ou Hvar, considerada a Saint-Tropez do Adriático. Esta é uma cidade-porto que marca o início da costa da Dalmácia e que serve de ponto de partida para descobrir as 1.185 ilhas espalhadas pela costa croata.
Avalie este artigo e a revista b em A sua opinião.