revista b / gente barclaycard

Gente Barclaycard

Catarina Portas

De jornalista a empresária de sucesso

Catarina Portas abriu a primeira loja A Vida Portuguesa em 2007 e dois anos depois lançou o projeto Quiosques de Refresco, recuperando marcas, produtos e sabores com história e que ainda hoje povoam a memória de muitos de nós.




Quem é?

Nascida em Lisboa em 1969, tornou-se jornalista em 1989, trabalhando sempre nas áreas de sociedade e cultura n’O Independente, na Marie Claire, no Diário de Notícias e mais tarde na RTP e na SIC, como autora e apresentadora de diversos programas de televisão (Raios e Coriscos, Frou-Frou, Falatório, Onda Curta, No Sofá Vermelho), passando ainda pela rádio (Correio da Manhã Rádio e Rádio Comercial).

Como jornalista, recebeu os prémios Gazeta/Revelação, do Clube de Jornalistas, e Revelação Reportagem, do Clube Português de Imprensa.

Participou nos lançamentos da ModaLisboa e do Instituto das Artes do Ministério da Cultura. É autora de dois livros (Olivais, Retrato de um Bairro e Goa, História de um Encontro). Entre 2007 e 2009, assinou a crónica Feira da Ladra, no jornal Público.

Realizou o documentário Bruta Flor do Querer, vencedor do Prémio de Melhor Curta­‑Metragem Documental nos XII Encontros Internacionais de Cinema Documental 2001.

A partir de 2004 tornou-se empresária, dedicando-se à revitalização de marcas antigas portuguesas, através das lojas A Vida Portuguesa. Em 2009, em parceria com João Regal, lançou o projeto Quiosque de Refresco, reabilitando quiosques de Lisboa onde se servem bebidas tradicionais.



Catarina Portas é o rosto por detrás das lojas A Vida Portuguesa e dos Quiosques do Refresco. Ao fim de quase 20 anos como jornalista, depois de passar por rádios, jornais e televisões, lançou-se no mundo dos negócios e criou duas das marcas de maior sucesso e reconhecimento em Portugal.

Ao pesquisar a vida privada de Portugal no século XX, para um livro, constatou um facto curioso: diversos produtos e marcas portuguesas, da pasta de dentes Couto ao azeite de Oliva, mantiveram o mesmo logótipo e a mesma embalagem durante décadas (e, nalguns casos, durante mais de um século). Fascinada com essas marcas resistentes à passagem do tempo e apercebendo-se de que muitas estariam a desaparecer, decidiu recuperar estes produtos, ajudando assim a salvar parte da manufatura portuguesa.

Resolve então criar uma loja dedicada a revitalizar alguns dos produtos que refletem a história do consumo em Portugal. Nascia A Vida Portuguesa, uma loja cujo conceito é valorizar produtos portugueses que atravessaram gerações e que mantiveram as suas embalagens originais.

A partir daí, foi possível reeditar alguns produtos, como os sabonetes exclusivos que A Vida Portuguesa desenvolveu com a Confiança e a Ach.Brito, recuperando rótulos antigos, ou as oito embalagens históricas de lápis Viarco, as andorinhas Bordallo Pinheiro e ainda os cadernos da Emílio Braga. Outros produtos que fazem as honras da casa, tornando-se irresistíveis para quase todos os visitantes: o saudoso chapéu de chuva de chocolate Regina, os sabonetes Claus Porto (que são fabricados desde 1887), a lavanda, a pasta medicinal Couto, o creme para as mãos Alantoíne, o pião de madeira, os chocolates Arcádia… entre muitos outros! A oferta também inclui géneros alimentícios, como barras de chocolate, conservas, azeites, cafés, chá Gorreana, bolachas, compotas e muitos outros artigos tradicionais.



Atualmente, com três lojas abertas, A Vida Portuguesa tem 26 funcionários e alguns pedidos de franchising ainda não concretizados. Quem passa pela loja não fica indiferente. Portugueses e estrangeiros sentem o apelo da tradição e o negócio floresce. Os produtos de A Vida Portuguesa já voaram até Paris, Barcelona, Londres e Estados Unidos, passando ainda pelo Pavilhão Português em Xangai, pelo MoMA (Museum of Modern Art), em Nova Iorque, e pelo Japão, onde estão à venda.


Mas, Catarina Portas não se ficou por aqui. Depois do sucesso de A Vida Portuguesa, a empresária lançou-se, em 2009, no negócio de recuperação dos quiosques tradicionais de Lisboa. O gosto pelos quiosques portugueses e a tristeza de os ver fechados e degradados, levaram-na novamente à ação. Com o sócio João Regal, da DeliDelux, os quiosques do Largo Camões, do Príncipe Real, da Praça das Flores e do Largo de São Paulo foram integralmente recuperados e preparados para vender bebidas frescas tradicionais lisboetas, como a limonada, o capilé, a groselha, a orchata, o leite perfumado e a ginjinha. Sabores próprios e antigos, frescos, sem conservantes e recriados para os dias de hoje. Tudo em louça descartável e biodegradável e a preços acessíveis, porque este é um espaço de todos e para todos poderem desfrutar.






Um roteiro d’A Vida Portuguesa

A primeira loja abriu em 2007, no espaço de uma antiga fábrica de perfumes, no Chiado, em Lisboa, sendo uma mistura de armazém e museu. A segunda loja, aberta no Porto, em 2009, ocupa o primeiro e o segundo piso dos centenários Armazéns Fernandes & Matos, com uma das vistas mais privilegiadas que há na Invicta: as janelas apontadas para a Torre dos Clérigos.

Recentemente, em finais de novembro de 2013, A Vida Portuguesa inaugurou uma nova loja em Lisboa, desta vez no renovado bairro do Intendente, ocupando o espaço onde, durante mais de um século, funcionou a fábrica e o armazém da Viúva Lamego, sendo possível seguir a sua história através dos azulejos das paredes. O espaço recebeu o prémio Corvo de Ouro de Loja do Ano, da revista Time Out. Maior do que as outras lojas, com cerca de 500 metros quadrados, aqui vendem­‑se também banheiras, tachos, fogões, serviços de mesa, copos de vidro, novelos de lã, tapetes, bordados, passando por roupa de cama, botas, camisas, plantas, espreguiçadeiras…

A Vida Portuguesa

R. Anchieta, 11
1200-023 Chiado, Lisboa
+351 213 465 073

R. Galeria de Paris, 20, 1.º
4050-162 Clérigos, Porto
+351 222 022 105

Lg. do Intendente Pina Manique, 23
1100-285 Lisboa
+351 211 974 512

Quiosque de Refresco

Largo Camões, Praça das Flores, Praça do Príncipe Real e Largo de São Paulo em Lisboa.